Saturday, May 31, 2003

Aquele que pensa pequeno, sofre de falta de imaginação.
Shakespeare
-- tirado do Lactobacilo Morto.
Não corrigir nossas faltas é o mesmo que cometer novos erros.
Confúcio
-- tirado do Lactobacilo Morto.
Mais duas mini-biografias. Ahá !


Regina é uma das 16 mulheres no Mundo que não mentem. O mais próximo que ela já chegou desse comportamento foi se referir ao próprio cabelo perguntando "o que você acha do meu cabelo?", na verdade o cabelo dela é preto, a loirice é uma 'mentira'. Ela trabalha como colorista de histórias em quadrinhos e seu olho é muito treinado, é capaz de distinguir os tons das cores sem precisar compará-los simultaneamente. Seu QI é de 180, tem 1,76m de altura, 59kg e 30 anos (com aparência de 23).


Neo é o 'the one' e sua missão é salvar a Humanidade.

Friday, May 30, 2003

Não entendeu direito o diálogo entre Neo e o Arquiteto ? Então aqui vai uma tradução, ô besta:

O Ajudante de pedreiro- E aê, Neo?! Beleza?!

Neo - Quem é você?

O Ajudante de pedreiro- Eu sou quase um Arquiteto sabe... Eu que montei a Matrix. Eu tava te esperando. Sei que você esta cheio de minhocas na cachola, apesar de ter passado uns bocado, você continua burro pra caramba. Então eu vou tentar te expricá bein de-va-ga-ri-nho pra vê se você entende. E para compensar, eu sei que tu vai logo perguntar a coisa mais óbvia e a mais besta ainda por cima.

Neo - Por que eu estou aqui?

O Ajudante de pedreiro- Tu passou por poucas e boas desde que a Matrix foi criada. Tu foi um tijolo mal colocado, e embora seja quase um arquiteto tive umas compricação e não consegui fazer um serviço de primeira, mas se conseguisse ia ficar metido bagarai. E eu já to me cansando de ficar achando que esse servicinho de porco quebrou o galho mas já não da pra arrumar. Tanto é que tu sempre aparece aqui.

Neo - Você não respondeu à minha pergunta.

O Ajudante de pedreiro- É mesmo né?! Tu não é tão burro quanto pensei.

*As respostas dos outros Predestinados aparecem nos monitores: Outros? Que outros? Quantos? Me responda!'*

O Ajudante de pedreiro- Essa Matrix é veia pacas. Eu prefiro contar a partir do dia que comecei a trabalhar nessa merda. Então acho que é meia dúzia de vez.

*De novo, as respostas dos outros Predestinados aparecem nos monitores: Cinco versões? Três? Mentiram pra mim também! Isso é conversa fiada.*

Neo - Só há duas explicações possíveis: Ou ninguém me disse ou ninguém sabe.

O Ajudante de pedreiro- É por ai.... Tu viu que, por mais que arrume, esse defeito (você) aparece de longe. E repete, repete.

* Mais uma vez, as respostas dos outros Predestinados aparecem nos monitores: Você não pode me controlar! Vai se f*&%#! Eu vou te matar! Você não pode me obrigar a fazer nada!*

Neo - Escolha. O problema é a escolha.

*A cena corta para Trinity lutando com um agente e volta para a sala do Arquiteto.*

O Ajudante de pedreiro- O primeiro servicinho que fiz na Matrix ficou jóia, de primeira. Ficou tão bom que ninguém gostou. Acabou virando uma cagada de dar gosto. Aí, eu matutei o por que o povo gosta tanto de coisas grotescas e vi que é da natureza dos serisumanus. Mas dinovo deu xabu. Aí, caiu a ficha que pra fazer o serviço do jeito que agrade o povo todo eu precisava de alguém que tivesse uns parafusos solto sabe?! Meio debilóide. Aí, achei a resposta, alias, outra pessoa achou, uma pessoa que sempre adora adivinhar o que o povo pensa, bisbilhotar. Minha patroa.

Neo - A Oráculo!

O Ajudante de pedreiro- Bingo! Como ela diz... Então, ela descobriu que se todos fossem tão xeretas e sem noção como ela, o povo não ia ser tão reclamão, era só fingir que eles tinham alguma opinião, mesmo que fosse completamente inútil. Embora esse lance funcionasse, ela dava muito pobrema, criando então, tipo um paradocho sabe, e poderia zoar o sistema todo. E depois, os descontente ficavam de lado, era pouquinho, mas gostavam de atrapalhar...

Neo - Isso tem a ver com Zion.

O Ajudante de pedreiro- Você tá aqui, porque Zion ta com a corda no pescoço. Cada cidadão lá vai tomar-no-cu, zéfini.
Neo - Papo furado!

* De novo, as respostas dos outros Neos aparecem nos monitores: Papo furado!*

O Ajudante de pedreiro- Não adianta negar menino, tu ta fu-di-do. Mas ó, é a sexta vez que temu que liberar aquela área lá, já tamo ficando até com pratica.

*A cena corta para Trinity lutando com um agente e volta para a sala do Arquiteto.*

O Ajudante de pedreiro- Pra não perder o fio da meada, o Predestinado, tu, tem que voltar lá na caixa de força, da uma olhada, desliga tudo e liga dinovo. Depois, você escolhe uma galerinha - tipo umas 16 mina e 7 cara - da Matrix pra recomeçar Zion. Se você não fizer desse jeito, vai dar pobrema e, além do pessoal de Zion, o pessoal que ta conectado na Matrix vai se ferrar bonito também, ai tu já viu, não sobra ninguém pra contar historia depois. Todos vão pro saco.

Neo - Você não deixará isso acontecer. Não pode. Vocês precisam dos seres humanos para sobreviver.
O Ajudante de pedreiro- E pessoal aqui já ta tudo prepadado pro caso disso acontecer. O lance é se tu ta ou não preparado pra levar a culpa caso todo mundo se ferre por que você escolheu a porta errada. (NT-Aqui não é porta da Esperança não, qualquer uma Zion ta ferrada.)

*O Ajudante de pedreiro pressiona um botão na caneta que segura e aparecem, nos monitores, imagens de pessoas de toda a Matrix.*

O Ajudante de pedreiro- É legal fica olhando. Os 5 que vieram antes de você, sempre se engraçava com alguém da sua espécie, facilitando o lance do Predestinado. Enquanto os outros só iam no oba-oba, tu logo ficou apaixonado.

*Imagens da Trinity lutando com o agente que apareceu no sonho de Neo tomam os monitores*

Neo - Trinity.

O Ajudante de pedreiro- A propósito, ela entrou na Matrix para salvar sua vida ao custo da vida dela.

Neo - Não!

O Ajudante de pedreiro- Agora é que é a hora do vamu-vê, em que você tenta dar uma de herói e acaba com tudo e começa dinovo. Tem duas portas. A à sua direita leva para a caixa de força e a salvação de Zion. A à sua esquerda leva para a Matrix, para ela [Trinity] e o fim dos humanos. Como você falou, o difícil é escolher. Mas já tamo careca de saber o que você vai fazer não é mesmo? Já vi que você ta daquele jeito. Não adianta ficar assim, ela vai morrer e fim de papo.

*Neo caminha em direção à porta da esquerda.*

O Ajudante de pedreiro- Humff. Esperança. Muitos se dão bem nessa mas a maioria mesmo se ferra.

Neo - No seu lugar, eu torceria para que nós não nos encontremos de novo.

O Ajudante de pedreiro- Nós não nos encontraremos.

Fim do diálogo.
----------
Hahahaha, tirado daqui.

Thursday, May 29, 2003

Mais um pra mini-biografias:


Nose Kicker odeia em a humanidade. Pra ele, nossa realidade é a bad-trip em que Brahma se meteu quando tomou o ácido cósmico chamado de big-bang. Largou a faculdade em grande estilo: dinamitando a sala do reitor. Felizmente não feriu ninguém, foi preso e cumpriu pena de 6 meses. Largou a cadeia em grande estilo: foi "noiva" de 3 caras durante esse tempo e nenhum deles era pé-de-mesa. Ele trabalha no IML, é aquele sujeito que dá banho nos cadáveres antes de serem enterrados, que costura os pedaços quando eles vêm de acidentes de trânsito. Completa o orçamento vendendo esculturas de durepoxi em feiras hippies. É um cara livre, sem cartão de crédito, sem dívidas, aventureiro, porra-louca, mal-educado, broxa e que só tem um pulmão.
Segundo Spacca (ilustrador de diversas publicações nacionais):

"as putas são desenhistas..."
1.trabalham com o corpo e a imaginação;
2.materializam fantasias;
3.trabalham com e sem equipamentos;
4. cobram para fazer sonhar;
5. combinam o preço antes;
6. com alguns clientes se soltam mais;
7. esperam o príncipe encantado que as tire dessa vida;
8. vivem reclamando do agente e de quem cobra pouco;
9. usam apelidos e codinomes exóticos;
10. fazem um trabalho gozado.

Hahahahaha, êta porra !!!

Wednesday, May 28, 2003

Aí o q vc pediu André: "Ian é baiano e estuda design em Bauru/SP, onde aventurou-se durante seu primeiro ano de facul em desenhar a realidade com os mínimos detalhes, porém sua paciência foi pro saco! E agora ele tenta recuperar o bom hábito do desenho."
Mais 3 figuras da seção "mini-biografias":


Flávia tem dois olhos negros, mas usa lentes de contato de cores diferentes em cada olho. Embora ela diga que seja porcausa de David Bowie, seu gosto musical está preso a The Cure, The Mission, Sisters of Mercy e um pouco de Echo and the Bunnymen. Seu semblante é de uma menina saudável e feliz, mas quando ela se lembra que tenta ser dark, ela fecha a cara, fica séria, niilista, sinistra. 20 minutos depois relaxa e ficar normal de novo.


Weird Krugger é um espectro que aparece no pesadelo (ou sonho) das garotas na idade em que elas estão descobrindo a sexualidade. Claro que ele reaparece depois, ao longo da vida também. Sua saliva pode engravidar qualquer garota fértil e debaixo dos caracóis dos seus cabelos do peito há uma tatuagem com um símbolo mágico afastador de dragões.


Quando a senhora Helga era criança, seus amiguinhos de escola pirraçavam-na chamando-a de "alga marinha". O humor dessa senhora é péssimo porcausa desse trauma de infância. Sua vida é triste e o restante de sua biografia não não vai mais além disso: ela é professora da terceira série do primeiro grau num colégio público de uma cidade grande qualquer.

Tuesday, May 27, 2003

Chega um momento na vida de um desenhista em que ele começa a bolar "mini biografias" com um desenho pequeno e um texto curto sobre determinado personagem descartável. Eu já comecei a fazer um pouco isso também, mas sem esquecer de um tema cada vez mais recorrente e do qual eu gosto muito: a mistura entre realidade e ficção (os diferentes graus de realidade, o real comprovável, o real comprovado, o verossímil, a aceitação da fantasia).

Aqui vão algumas mini-biografias (não tão inéditas para alguns de vocês):


Ninguém sabe ao certo o verdadeiro nome desse sujeito. É conhecido como Bacalhau porque, diz ele, já viu uma cabeça de bacalhau. Desistiu da carreira de criminoso quando, aos 30 anos, deu um tiro no (próprio) pé.


O dr. Ruy é advogado. Tem 55 anos, 1,73m de altura, 100kg, gosta de ouvir ópera enquanto lê as laudas dos processos em que trabalha. O corte de cabelo remonta aos anos 70, quando ele era punk e mantinha um moicano. Sim, ele se habituou tanto a esse cabelo que, mesmo sendo um senhor respetável e de relativo sucesso na advocacia, passa máquina zero nas têmporas semanalmente. Seus colegas pensam que é naturalmente calvo nos lados.


Clark Kent é jornalista em Metrópolis, trabalha ao lado de uma bela morena chamada Lois Lane. É um cara muito forte, mas frequentemente mente sobre a própria força.


Monday, May 26, 2003


Essa página foi um exercício de HQ que eu fiz pra um estúdio de design de Blumenau. Os caras estavam pensando em bolar personagens pra propagandear um shopping que seria aberto em Mauá (SP). Os personagens estariam metidos em aventuras dentro do shopping e as HQs seriam publicadas no site do tal shopping. Êita, faz tempo, acho que foi em 2001, o projeto não foi finalizado... nem lembro se o tal estúdio terminou de fazer o site...

Sunday, May 25, 2003

Corrigindo defeito nos acentos.

Saturday, May 24, 2003

Mês passado eu estava conversando com Fernanda Breta pelo ICQ e vejam só a conversa que se seguiu:

ela - Oi, lembra da sua teoria sobre a extinção dos monstros marinhos ?
eu - Hã ??? Extinção dos monstros marinhos ?
ela - É, você disse que hoje não existem mais relatos sobre monstros marinhos como antigamente porque houve uma evolução espiritual ao longo de, sei lá, 800 anos e as criaturas reencarnaram em seres menos ameaçadores. E você também fez um paralelo com o aumento da população mundial, dizendo que hoje nós temos 5 bilhões de habitantes no planeta Terra e que um argumento a favor da...
eu - Ah sim, tô ligado. São 6 bilhões de pessoas já, Fê. E na Idade Média a populção total não chegava nem a 1 bilhão...
ela - Pois então, e você me disse que esse aumento na população mundial poderia ser uma prova de que não existe reencarnação, porque, de onde viria tanto espírito ? Lembra ?
eu - Sim, sim, lembro sim. Esses espíritos que surgiram recentemente já existiam anteriormente, mas não estavam encarnados. Por isso que havia tanta bruxaria e tanta assombração e milagres antigamente...
ela - E na quinta-feira passada um cliente meu me mostrou fotos dos cachorros que ele tinha antes do atual, todos sempre da mesma raça, boxers, foram dois, comprados quando o de então falecia. O que mais me chamou atenção no álbum foram as fotos da mãe dele...
eu - O que que tem a mãe dele, era uma boxer também ?
ela - Hihihi, mais ou menos... havia uma diferença de uns 20 anos nessas fotos, e nesse período a senhora lá fez algumas plásticas... Dé, eu lembrei dessa sua teoria na hora !!! Incrível, eu formulei uma parecida, que diz que hoje não existem mais monstros marinhos porque houve uma evolução nas técnicas de operação plástica !
eu - Hahahahahahahahaha ! Você é muito má, Fê !
ela - Hahahahahahaha ! ...você tinha que ver a cara da mulher e depois como ficou... ela era parecida com o Salman Rushdie e depois ficou parecida com a Marisa Orth...
eu - E você conseguiu notar a diferença ?
ela - Hahahahahahahahahahaha !
eu - Huahuahuah !

E esta garota eu fiz pro cartaz do VIII Festival 5 Minutos que vai acontecer de 20 a 26 de Outubro. Ahá ! (fiz também com outras versões de cores, mas essa de pele azul foi a que gostei mais)

Este é o rascunho da página 06 da HQ "O Lobisomem" que tô fazendo pra Front cujo tema é 'medo'. A HQ tá ficando difuder !!! Serão 19 páginas, roteiro de Jean Canesqui e desenho meu.